segunda-feira, 6 de junho de 2016

Só o teu amor me acalma



Solto em palavras
o que derrama da alma!
Há palavras que me enleiam
sofro sem ter medo
Absorto em mim…
Palavras que me chateiam.

Bailam pensamentos
devoram a minha vontade de ti.
Se calhar não nos vamos encontrar
se calhar não é este o tempo
nem nesta vida
que voltarei a amar.

São palavras nossas
de mim, de medos.
Tantas vezes me detenho!
O tempo hidrata os sonhos,
cura mazelas, reforça desejos
dos poemas que compomos.

O tempo brinca
o agora já não existe.
Como a lua vazia
à espera de nos encontrar.
E tão profundo que é…
O desejo de te querer amar!

Solto em palavras
a entrega tem sabor a paixão!
O fogo alastra, incendeia-me
e eu torno-me
numa brasa incandescente
ardendo pelo teu coração.

Sofro sem ter medo
cansado de ver naufragar
as minhas esperanças.
O tempo é implacável
absorto em mim
vou despertando nossas lembranças.

O que derramo da alma
ensina-me a rasgar a saudade
em milhões de pedaços.
Pois enquanto o dia avança
pela tarde fora, a noite já espera…
E eu desespero sem os teus braços.

Há palavras que me enleiam
num desflorar de desejos tórridos
nos acordes da alma.
O tempo está parado, esquecido…
Lembrado …
só o teu amor me acalma.

𺰘¨¨˜°ºð022/2016𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da Net
Copyright © 2016
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor