quarta-feira, 20 de agosto de 2014

No dia que parti

 
 
A casa que deixei
onde ás vezes regresso
está tão distante
desde o dia que parti
rumo à cidade.

Distante está o tempo,
pedra a pedra
faz nascer em mim
uma profunda nostalgia…
Quem sabe um dia
o desejo de morrer ali
em farrapos de tempo
na casa que deixei…

Ali deixei o meu olhar
quebrei as barreiras do tempo
congelei lágrimas
sabotei o canto das aves.

Na casa que deixei
o mistério estremece!
Em cada grão de granito
uma réstia de eternidade…

Digo mais um adeus adiado
Entre lágrimas reflectidas
aqui…
Bebo o silêncio
saboreio o vento
colho os cachos de uva
que me hão-de dar de beber.

Como herança dada…
Como em tantos outros dias.
Era tempo de voltar
de disfarçar calado
a casa que deixei
desde o dia que parti…

𺰘¨¨˜°ºð686𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

sábado, 16 de agosto de 2014

Quem disse?

 
 
Quem disse
que eu não te oiço?
Se me disseres
as palavras certas,
eu, serei todo ouvidos…
Diz-me coisas loucas
desvairadas,
nos momentos de paixão.

Quem disse
que eu não sou uma alma sensível?
Fala
divaga
improvisa
especialmente quando estou cansado
e não presto atenção.
Mas as tuas palavras distraem-me
do que me perturba.
O som da tua voz
liberta-me do cansaço
e traz-me de volta a ti.

Quem disse
que eu não te oiço?
Se estiver distraído,
mas pede-me que te dê
atenção e te faça rir.
Diz-me o que gostas,
mas não tenhas pressa
em dizê-lo nem em sabê-lo.

Quem te disse
que não te diria
para deixares tudo para trás
e fugires comigo
para um lugar exótico
para estarmos juntos.

Quem disse
que eu não te oiço?
diz-me somente
que sou o homem
que conheces
e deixa o resto acontecer.

𺰘¨¨˜°ºð685𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Naquela noite de luar

 
 
Noites de luar
chegam as lembranças,
o meu olhar turva-se
naquele foco de luz.
Senti o teu cheiro
falei com a natureza,
perguntei ao mar
porque eras…
Noite de luar.

Quantos sonhos
sonhei de mim próprio
no mar calmo,
do teu corpo.
No caminho,
as pegadas,
o vento que soprava
do beijo saído dos meus lábios
sem barreiras.

Noites de luar
aconchegamos os nossos corpos
na areia fria e macia
juntos descobrimos!...
Prazeres…
carregados de silêncios
que desfloramos
pela primeira vez
naquela noite de luar.

𺰘¨¨˜°ºð684𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Oiço a voz que chama por mim

 
 
Oiço a voz que chama por mim
e eu aqui deitado
senti vontade de voltar.

Em silêncio, vou por aí…
esqueço o passado,
e sacio-me do sabor do tempo.

Um vazio entrou no meu coração…
Oiço a voz que chama por mim
nas madrugadas frias.

Sonho com o dia
e com a nossa cama vazia
com a paixão das tuas carícias.

Entrego o meu corpo sem vacilar sequer,
À espera que o sonho
Se transforme em realidade!...

Oiço a voz que chama por mim
de coração partido
e a alma em pedaços…

Memórias silenciosas
entrelaçam-se
murmuram na minha boca.

E dançam com a língua
um bailado com o sabor
da tua boca que ficou em mim.

No sabor da tua boca
imagino os gemidos tua a voz,
sofro com a tua ausência.

𺰘¨¨˜°ºð683𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

O tempo corre


 
O tempo corre
como toques suaves
em gestos que não se alcançam.
Guarda as nossas noites tempestuosas!...
 
Corre o tempo
na madrugada,
correm as palavras
nos silêncios…
 
O tempo corre
nas cascatas de água cristalina
corre a pausa na sombra
corre o amor em delírio.
 
Cresce em nós,
Transborda, multiplica-se
Como corre… um segundo
Na profundidade da vida.
 
O tempo corre
num minuto de olhos atentos
nas pequenas coisas
recomeça a cada instante.
 
Corre nas veias
rasga-me o corpo
o tempo corre até ao tempo
em que eu esteja morto.
 
𺰘¨¨˜°ºð682𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

sábado, 12 de julho de 2014

Amar em silêncio



Amar em silêncio
sentir o calor do teu abraço
por um instante…
Tocar o teu regaço.

Silenciar os prazeres
que a boca anseia falar…
Gritar… O silêncio que corre
na mente, que dói.

Silêncio que dói
silêncio que vive nos teus olhos.
Olhos que falam os silêncios
que florescem, como lágrimas.

Amar em silêncio
o caminho do teu corpo
que sinto,
que respiro.

Amar em silêncio
o sorriso que esboças
no silêncio que partilhas
num sonho calado.

Amar em silêncio
a suavidade da tua pele
ao tocar-te levemente
e sentir-te ardentemente.

Amar em silêncio
os teus lábios que me tocam
sentir o calor que queima
sem te tocar.

𺰘¨¨˜°ºð681𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
         
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Enquanto...



Enquanto te rasgo
as entranhas
pensando entre o sabor dos lençóis
invade-me um desejo audaz.

Pois no silêncio da noite
envolvente,
cada sonho meu
abraça-te ao acordar.

Desejo ardente
doce olhar
rasgas-me a carne
e a alma.

És só tu
És só minha…
Gritas insaciável:
Sou tua… Sou tua…

Recheada de amor
e prazer
perdes-te dentro dos sentimentos.
rompes a porta.

Do orgasmo vivido e sentido…
corpos em plena fúria
brotam o desejo em cada movimento
enquanto te rasgo as entranhas.

𺰘¨¨˜°ºð680𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
         
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Estou a chegar



Acerta o relógio
estou a chegar
vou necessitar de um pouco de amor.
Quero os teus abraços
a ternura das tuas mãos
e na tua cama mergulhar
em prazer e loucura.

Estou a chegar
quero doar-te
sentimentos, sensações
voar nas asas do tempo
anoitecer em ti.
Quero ver como pulsa o relógio
e como vive e sente o teu coração.

Acerta o relógio
se queres estar comigo.
Vem a mim,
se desejas um beijo meu…
Dá-me os teus lábios,
o amor pede amor,
a partilha, a espera, a demora…

Estou a chegar
vou necessitar  de um pouco de amor
sou contador do tempo
enquanto me sorris
escondo os olhos
porque gostei
e envolvi-me.

Acerta o relógio
uma noite de amor
é o paraíso…
deixa-me possuir-te
pela tua essência,
e eu também deixo
um pouco de mim em ti.

𺰘¨¨˜°ºð679𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
         
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Sedento de Amor



Deixas-me mudo,
abismado
sem fôlego.

Estou bêbado com saudade…
queria brindar
com os teus dedos
na minha boca.

Navegar sem bússola
pelo teu corpo,
lançar-me ao desconhecido
até à exaustão.

Alimentado pela sensação
que me envolve a mente
os membros, a alma
nos momentos de loucura.

Deixas-me mudo
abismado…
Matas-me
machucas-me.

Abandonas-me
Já não há limites!...
Naquilo que os sentidos tocam.
Já não há limites!...

Mas deixa tudo
O que te rege
e chama-me
quando a dor destrói.

Deixa tudo o que nos rege
a emoção, a entrega cega,
o olhar
que captura e prende…

Docemente impressiona-me
Sonhamos…
Sedentos de amor,
paixão.

Deixas-me mudo
Abismado, abandonado,
Mas não vivo
Sem essas ilusões…

𺰘¨¨˜°ºð678𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
         
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Estou aqui



Estou aqui
penso em ti,
a brisa que me toca
traz carinhos teus
traz os delírios
que juntos saboreámos
no silêncio mágico, só nosso.

Estou aqui
Vejo neste céu
ao entardecer
O sol que me trazes.
O sol da tua doçura
O sol que quero encontrar
Quando vou á tua procura.

Estou aqui
deixo-me guiar pela luz
que me envolve a alma,
que me corrói as entranhas.
O mar afasta-se
a saudade aparece
deixa-me recordações…

Estou aqui
quando rompe a aurora
depois da noite fria.
Penso em ti nos momentos de nostalgia
e de ilusões adormecidas.
Tenho a brisa nos meus lábios
que em delírio chamam por ti.

Estou aqui
vou vivendo a sonhar…
Deixo-me ir ao sabor da brisa,
ao encontro dos teus carinhos… sem luar
Porque a lua já não vem,
vou esperar para te encontrar,
mas temo atracar na solidão.

𺰘¨¨˜°ºð677𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
         
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

O boato


Há conversas que se ouvem
como se tivessem ouvidos 
conversas perdidas, sem interesse
de imenso mau gosto e desconforto.

Conversas vividas e sentidas
quando a tarde acaba o dia
conversas de fraco gosto
vividas no mês de Agosto.

De repente inventadas
entre palavras malvadas
inesperadas e malcriadas
por uma hora de mal dizer.

O nome da desgraça
num ápice revelado
no chão enxovalhado
nas línguas mal falado.

Conversas que se espalham
o nome dele também falam…
Como é que eles são amantes
se eles nem sequer se falam!

𺰘¨¨˜°ºð676𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net
        
Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

domingo, 6 de julho de 2014

Criei Raízes

Criei raízes
neste mundo que me consome
a vida
a alma
a mágoa
a angústia.
Talvez nada,
mas o nada pode ser tudo.
Criei raízes
quase impossíveis de suportar
o alimento da alma.
Sei como é esse sentir…
Criei raízes
além da terra
no céu profundo
tempos frios
ventos
murmuravam na nossa janela
com o seu assobio selvagem,
loucos os nossos gemidos, de alento
emudeciam a agitação da aragem.
Na plenitude do sentir,
Criei raízes
Neste mundo que me consome.


𺰘¨¨˜°ºð675𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor
Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.

sábado, 5 de julho de 2014

Labirintos



Quem, sensível deixa sempre a alma
o toque na cama
debaixo dos lençóis
e aquele olhar felino
tal e qual uma fera no cio…

Vieste, cheia de vigor
a esperança louca alimenta-me
curtimos a liberdade perversa.
Quem sensível como uma vela
que se apaga e tem de voltar a acender.

A luz do quarto cheira a incenso
reinventado pela memória
formosa e segura de ventre liso
muitas vezes distante e ardente
que se agita  contra as paredes do quarto.

Quem és tu pecadora, em tanto pecado
que e raro o dia em que não me trocas
Por outro homem…
Sentimentos que transparecem
Também nas horas de inquietude.

Dividido entre alguns eixos da vida
de sonhos e fantasias que me dás
continuo a sonhar, a alimentar a alma
ali na cama quente, são outros sentimentos
que valem mais para mim do que diamantes.

Labirintos invisíveis, temporal, paixão
Imediata e absorvente.
A língua… um certo tom de mistério.
Fico muito carente… sensível
Ajudo-te a despir, decido fazer subir a temperatura.

𺰘¨¨˜°ºð674𺰘¨¨˜°ºð
Autor: 𺰘¨¨˜°ºðCarlosCoelho𺰘¨¨˜°ºð
Foto da net

Copyright © 2014
© Reservados os Direitos de Autor

Ao Abrigo do Código de Direitos de Autor.